<<voltar

Vitória histórica de Portugal sobre a Espanha

Em jogo particular no Estádio da Luz

Com uma exibição de luxo, que excedeu todas as expectativas, a selecção de Portugal derrotou ontem, pelo espectacular "score" de 4-0, a sua congénere de Espanha.

Com uma exibição de luxo, que excedeu todas as expectativas, a selecção de Portugal derrotou ontem, pelo espectacular "score" de 4-0, a sua congénere de Espanha, em encontro particular, disputado no Estádio da Luz, cujo objectivo foi o de reforçar a candidatura ibérica à realização do Mundial de Futebol em 2018 ou 2022 e de, simultaneamente, celebrar o Centenário da República Portuguesa.

 

Esta histórica "goleada" conseguida pela "equipa das quinas" sobre os actuais campeões da Europa e do Mundo, foi a maior que a Espanha sofreu desde que, em 1950, perdeu frente ao Brasil, por 6-1, no Rio de Janeiro.

 

O guarda-redes Casillas, justamente considerado um dos melhores do mundo, não conseguiu impedir que Carlos Martins, a um minuto do intervalo, abrisse a contagem, para Hélder Postiga, aos 49 e aos 68 minutos, e Hugo Almeida, ao caír do pano, fixarem o resultado em 4-0, a maior vitória de Portugal em jogos com a Espanha.

 

Ficou, no entanto, por contabilizar mais um golo monumental da autoria do genial Cristiano Ronaldo, em lance inesquecível, aos 36 minutos, que o árbitro francês, Antony Gautier, cometeu o erro gravíssimo de anular, pois a bola já estava dentro da baliza quando Nani apareceu a confirmar com um toque de cabeça. Casillas jamais esquecerá aquele monumental "chapéu" que o seu colega do Real Madrid lhe infligiu.

 

Ficha do jogo:

PORTUGAL - Eduardo (Rui Patrício, 45m); João Pereira, Ricardo Carvalho (Pepe, 45m), Bruno Alves e Bosingwa; João Moutinho, Raul Meireles e Carlos Martins (M. Fernandes, 63m); Nani (Paulo Machado, 88m), Hélder Postiga (Hugo Almeida, 76m) e Cristiano Ronaldo (Dany, 45m).

Seleccionador – Paulo Bento. 

 

ESPANHA - Casillas, Sérgio Ramos, Piqué (Marchena, 45m), Puyol (Arbeloa, 73m) e Capdevilla; Busquets e Xabi Alonso (Cazorla, 58m); Iniesta (Llorente, 58m), Xavi (Fabregas, 45m) e David Villa (Torres, 45m); David Silva.

Seleccionador – Vicente del Bosque.

 

Árbitro: Antony Gautier (França); Michael Annonier e Nicolas Pottier (Auxiliares); Bruno Paixão (Portugal - 4º Árbitro).

 

Cartões amarelos: Cristiano Ronaldo (9 m); Busquets (8 m) e Fabregas (72 m).

 

Guita Júnior