<<voltar

3ª Etapa da 18ª Volta a Portugal do Futuro

Líder resistiu a todos os ataques

Bruno Silva, da Aluvia Valongo, foi o melhor no Alto de Montejunto; Pedro Paulinho (Mortágua-Basi) foi figura da etapa pelo seu espírito de combatividade…

O russo Alexander Ryabkin manteve hoje a camisola amarela da 18ª Volta a Portugal do Futuro, uma organização da PAD/João Lagos Sports, que faz parte do calendário dos Jogos do Centenário da República, no final da 3ª etapa, que ligou Porto de Mós ao Alto de Montejunto com 108,7 Km de extensão, num percurso com uma ponta final bastante dura e susceptível de provocar alterações no comando da classificação – o que não se concretizou. Bruno Silva (Aluvia Valongo) foi o grande vencedor, ao surgir isolado na meta com contagem de montanha de 1ª categoria.

 

«Foi uma vitória muito importante, tanto mais que se tratou do meu primeiro triunfo em etapas na presente época», regozijou-se o primeiro a chegar ao Alto de Montejunto. «Vinha com o Vasco Pereira e ataquei, comecei a adiquirir vantagem e acreditei que poderia ganhar a etapa. Mas vai ser difícil roubar a camisola amarela…».

 

A outra grande figura da jornada foi, sem dúvida, o irmão de Sérgio Paulinho – Pedro Paulinho (Mortágua-Basi), que se adiantou ao pelotão ao Km. 35,2 vencendo as três metas volantes do dia, as duas primeiras isolado, em Rio Maior (Km 36,3), com 32s. de vantagem, e Salgueirinha (Km. 66,7), com 22s, e a terceira já com a companhia de Cristiano Teixeira (Aluvia-Valongo) e de Rui Carvalho (Mortágua-Basi), com o pelotão a 41s. do trio fugitivo.

 

Antes, porém, nos primeiros 24 quilómetros, a corrida foi animada por uma tentativa de fuga protagonizada pelo quarteto constituído por Sandro Pinto e Casimiro Oliveira (ambos do Maia-Bike Team), Bruno Silva (Aluvia-Valongo) e Moreno Ribeiro (Cartaxo-Capital do Vinho).

 

Estas duas operações ofensivas, em particular a de Pedro Paulinho, contribuíram para que a média ao cabo de duas horas de prova se situasse em 42,5 Km/h.

 

Tudo se decidiu nos últimos 7 quilómetros da subida para o Alto de Montejunto, onde tradicionalmente se resolvem muitas corridas. Na dura escalada desde Vila Verde dos Francos, os homens da Aluvia e da Liberty desencadearam uma verdadeira batalha para retirarem a camisola amarela ao russo da Caja Rural, Alexander Ryabkin, objectivo que, no entanto, não foi atingido, embora a equipa de Valongo acabasse por conseguir a vitória na etapa por Bruno Silva, e agrupar mais três elementos entre o 4º e o 7º lugares da geral

 

Por equipas, a Aluvia defendeu o primeiro lugar, mas na Montanha, João M. Pereira (Palmeiras Resort Tavira) desalojou o comando Vasco Pereira (ASC Vitória RTL) e ao primeiro lugar da juventude ascendeu Luís Afonso (Aluvia-Valongo).

 

Amanhã disputa-se a 4ª etapa, entre Rio Maior e Redondo, com 169,1 Km, metas volantes em Almeirim, S. Francisco-Coruche e Vimieiro, percurso plano com algumas ligeiras subidas na parte final. Os corredores partem às 11.30h de Rio Maior e a chegada está prevista para cerca das 15.30h.

 

Guita Júnior