<<voltar

Estados Unidos na frente com 33 medalhas

Ascendente anglo-saxónico intensifica-se

Estados Unidos, Austrália e Grã-Bretanha dominam por completo o Campeonato do Mundo de Masters, um acontecimento desportivo de grande repercussão internacional incluído no programa dos Jogos do Centenário da República.

 

Estados Unidos, Austrália e Grã-Bretanha dominam por completo o Campeonato do Mundo de Masters que está a decorrer no Velódromo Nacional de Anadia, um acontecimento desportivo de grande repercussão internacional incluído no programa dos Jogos do Centenário da República.


Este ascendente anglo-saxónico nas competições de pista tem vindo a intensificar-se ao longo das quatro sessões cumpridas até ontem e que, como tudo indica, vai continuar a marcar este Campeonato Mundial até à ronda final, no próximo domingo.


Desse domínio é prova irrefutável a posição destas representações no quadro de medalhas onde os Estados Unidos ocupam o primeiro lugar com um total de 33 medalhas, 15 das quais de ouro, com o Grã-Bretanha logo a seguir com 30 (11 de ouro) e Austrália, com 24 (9 de ouro).


No entanto, no escalão de 35-39 anos, as prestações do canadiano Trevor Gunderson e do australiano Gavin White, tem sido verdadeiramente arrebatadoras, arrancando fortes aplausos do público que vem aderindo cada vez mais a este vibrante espectáculo, pese embora a circunstância de estarmos perante praticantes da categoria de Masters.


O canadiano, que já se havia destacado na prova de perseguição individual de 3000 metros, voltou a evidenciar-se ao vencer a prova de 15 Km de “Scratch”. Quanto ao australiano a sua actuação foi fundamental para a revalidação do título na corrida por equipas vencendo com clareza o contra-relógio individual de 1000 metros, no tempo de 1m 06,169s.


As atenções estão agora voltadas para a prova de velocidade, que ocupa dois dos seis dias da competição, na qual o principal favorito é o australiano Gavin White, que nas eliminatórias gastou 11s042, nos 200 metros, à impressionante média de 65,206 Km/h.


César Mendonça, português de 52 anos, nascido no Brasil e radicado em Portugal há 12 anos, assegura a participação lusa nas provas de “Scratch” e velocidade. Actualmente representa a equipa da Póvoa BTT, em maesters 50, tendo conquistado este ano a Taça de Portugal. No “Scratch” foi 14º e na velocidade perdeu no despique com o britânico Steve Cronshaw nos 1/6 final, mas espera agora pela repescagem para prosseguir em prova.


Hoje continuam as eliminatórias de velocidade, concluindo-se o programa amanhã com a consagração dos campeões de velocidade e pontos.

 

Guita Júnior